13/12/17 18:45

" Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais de Barueri e Região. "

furlan 1

SOMENTE PROMESSA

O Prefeito de Barueri, Rubens Furlan, em reunião com professores da Rede Municipal de Ensino no início do ano expôs a situação da Prefeitura. À mesma época se comprometeu em receber o presidente do SIPROEM para tratar sobre reajuste salarial da categoria, porém, até o momento, o prefeito não recebeu a diretoria e muito menos acenou com uma proposta para os professores. Algumas reivindicações surgiram por parte dos presentes naquele encontro tais como a manutenção dos agentes de inclusão, apoio ao Professor; Uso do Hospital Municipal pelos agregados; Remédios na farmácia popular aos professores; Abertura das Salas de Computação; Vale Combustível; Prova Seletiva para os cargos de gestão; Revisão do Plano de Carreira do Magistério; Creches para filhos de Professores; ampliação dos convênios da Prefeitura Municipal de Barueri para Cursos e Títulos; Ensino Infantil em dois horários; Dissídio coletivo; exclusão das VPIs; Licença Prêmio em Pecúnia (3 meses); regulamentar a Folga do Aniversário aos professores em férias (Janeiro); Comissão para a revisão do Plano de Carreira. Passados alguns meses, parece que determinada reunião foi perda de tempo, já que nada foi resolvido. O prefeito Rubens Furlan tem o dever de dar uma resposta às reivindicações dos professores, principalmente no que diz respeito ao reajuste salarial, uma vez que o último reajuste foi de 10,25 % em 2014, dividido em duas vezes pelo então prefeito Gil Arantes. A desculpa de todos os gestores é a falta de dinheiro, todavia em Barueri gasta-se à olhos vistos com tinta para pintar os prédios da prefeitura além de outros gastos que poderiam ser perfeitamente adiado para que se possa cuidar da Educação. Para ter uma ideia, os professores da rede municipal não tem diário de classe para fazer suas anotações. Algo tão corriqueiro e sem solução. Apostilas então, nem pensar. Na contramão, o prefeito Rubens Furlan encaminhou um Projeto de Lei para a Câmara Municipal, aprovado pelos vereadores e já sancionado pelo prefeito, para retirar dos professores das escolas de período integral 30% da gratificação de dedicação exclusiva. Ao invés de valorizar o profissional que se dedica, o prefeito prefere penalizar quem realmente trabalha. Enquanto isso, a lista de comissionados na prefeitura a cada dia aumenta. Em razão disso, o SIPROEM convoca uma reunião de REs (representantes de escola) para construir uma pauta de luta para posterior discussão em assembleia. É preciso dar um basta ao descaso dessa administração com a Educação do município.


Was This Post Helpful:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Lilian Rampaso