17/01/18 18:09

" Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais de Barueri e Região. "

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROÍBE ENTRADA DO SIPROEM NA ESCOLA

Mais uma vez o SIPROEM é impedido de falar com professores. Desta vez foi na EMEF. Bairro dos Altos que a diretora resolveu tomar para si a responsabilidade de não deixar a diretora do SIPROEM ter acesso aos professores. Diante da negativa, a diretora da escola fez contato com a Secretaria da Educação e o funcionário que a atendeu confirmou que o SIPROEM não estava realmente autorizado à entrada na escola.

Diante disso, a diretora do SIPROEM comunicou à diretora da escola que faria um boletim de ocorrência para registrar o fato. A diretora do sindicato permaneceu em frente à secretaria da escola aguardando que algum professor a procurasse para receber as informações e, como ninguém apareceu, se encaminhou até à delegacia de polícia para denunciar o fato e lavrar o boletim de ocorrência.

Não é a primeira vez que isso acontece em Barueri. Na realidade essa é uma prática conhecida da administração Furlan para dificultar que os professores tenham acesso às informações do sindicato, mesmo porque é difícil ser desmascarado depois de tantas promessas.

Por outro lado, as proibições nunca são registradas por escrito. São passadas verbalmente porque sabem que é crime intervir no trabalho sindical e os diretores de escola são obrigados a cumprir essas determinações.

Tem funcionários que até arriscam a integridade física em troca de um “abraço” do patrão, assim como outras pessoas que cobravam uma postura do sindicato no governo Gil, hoje de volta aos seus cargos na administração simplesmente se omitem. Que dizer… (Agora tudo pode!)

Tal proibição é prática antissindical e qualquer pessoa que seja conivente com essa prática, direta ou indiretamente, responde perante a Justiça. Independente de proibição, a diretoria do SIPROEM continuará visitando as escolas do município e compete ao professor decidir se quer ou não receber o sindicato na hora do intervalo. Esse horário pertence ao professor e não ao patrão.

Foi lavrado o boletim de ocorrência de número 4510/2017 na Delegacia de Polícia de Barueri.


Was This Post Helpful:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

admin